0800 777 2050
(34)
(34)99982-0644
(34)98400-8040
(34)99214-8470
(34)99870-1035(EMERGÊNCIA)
Ok
Vida Nova
A Manifestação do Espírito
veja mais fotos
A Manifestação do Espírito
A Manifestação do Espírito
A Manifestação do Espírito
A Manifestação do Espírito
Autor (es):
De: R$ 62,82
Por 3 x de:
R$ 18,61
ou em ate 6x no cartão
Neste livro, D. A. Carson analisa minuciosamente a questão da contemporaneidade dos dons de uma perspectiva bíblica, sem deixar, porém, de dialogar com a longa tradição da teologia cristã. Trata-se de um estudo cuidadoso e diligente que visa extrair de um dos textos bíblicos mais célebres sobre o assunto, 1Coríntios 12?14, uma interpretação consistente e precisa que seja capaz de unir carismáticos e não carismáticos por meio de uma compreensão bíblica e teológica do assunto.
Título Original: Showing the Spirit: a Theological Exposition of
Páginas: 232
Peso: 0.354
Tamanho: 16 x 23
Edição: 2013
Volume: 1
isbn: 978-85-275-0552-9
Ano Lançamento: 2013

Neste livro, D. A. Carson analisa minuciosamente a questão da contemporaneidade dos dons de uma perspectiva bíblica, sem deixar, porém, de dialogar com a longa tradição da teologia cristã. Trata-se de um estudo cuidadoso e diligente que visa extrair de um dos textos bíblicos mais célebres sobre o assunto, 1Coríntios 12—14,  uma interpretação consistente e precisa que seja capaz de unir carismáticos e não carismáticos por meio de uma compreensão bíblica e teológica do assunto. 




Sumário




 


Prefácio ............................................................................................................9


Introdução ........................................................................................................11


Lista de abreviaturas ..........................................................................................15


1. A unidAde do corpo e a diversidAde dos dons (12.1-30).......................................17


Considerações sobre o contexto da argumentação em 1Coríntios 12—14...................17


O significado da confissão cristã central sobre o que é ser espiritual (12.1-3).............21


A abundante diversidade dos dons da graça (12.4-11) ...........................................33


O batismo no Espírito Santo e a metáfora do corpo:a dependência mútua dos crentes (12.12-26)......................... 44


Conclusão (12.27-30).........................................................................................51


2. o cAminho muito superior ou quAndo virá a perfeição? (12.31 13.13)....................53


O contexto do capítulo 13 ............................................................................. 53


A indispensabilidade do amor (13.1-3).......................................................... 60


Algumas características do amor (13.4-7) ..................................................63


A permanência do amor (13.8-13) ............................................................68


3. profeciA e línguAs: buscAndo o que é melhor (14.1-19) ...........................79


Considerações sobre a natureza de vários dos χαρίσματα (charismata) .........79


A superioridade da profecia sobre o falar em línguas (14.1-19) ...................102


4. ordem e AutoridAde: limitAndo dons espirituAis (14.20-40) ......................109


A relação de línguas e profecias com os descrentes (14.20-25) ....................110


Ordem na adoração pública (14.26-36) .....................................................119


Alerta (14.37,38) ....................................................................................133


Síntese (14.39,40) ..................................................................................136


Considerações finais ...............................................................................136


5. poder livre e restrições disciplinAres: em buscA de uma teologiA dos dons espirituAis...............................139


Considerações sobre línguas, milagres e batismo no Espírito em Atos............139


Considerações sobre a teologia da segunda bênção ...................................160


Considerações sobre revelação ................................................................162


Considerações sobre a evidência da história...............................................167


Considerações sobre o movimento carismático ..........................................172


Considerações de uma perspectiva pastoral ..............................................186


Bibliografia selecionada...........................................................................193


Índice de assuntos ................................................................................223


Índice de nomes ...................................................................................227




Introdução





Em todo o campo da teologia cristã contemporânea e da experiência pessoal, poucos assuntos em voga são mais importantes do que os que estão associados com o que tem sido chamado comumente de “movimento carismático”. Tal designação, como veremos adiante, relaciona-se com o termo bíblico χάρισμα (charisma), que é empregado de forma equivocada; no entanto, por ser esse o termo usual, continuarei a empregá-lo. Em todo caso, o que torna o assunto difícil não é tanto a designação usada, mas sim seu conteúdo. O movimento abrange não somente as denominações “pentecostais” tradicionais, mas também minorias consideráveis em muitas das denominações da cristandade; e, em algumas partes do mundo — América do Sul, por exemplo —, o movimento é a principal voz do protestantismo, ao mesmo tempo que é um invasor bem-sucedido na Igreja Católica Romana. Sejam quais forem seus compromissos teológicos, jovens clérigos lutarão com questões levantadas pelo movimento carismático de forma tão frequente e, em algumas ocasiões, tão dolorosa quanto qualquer outra questão que surgir em seu caminho.À medida que o movimento carismático tem crescido, também tem se tornado mais diversificado, fazendo, portanto, que muitas generalizações a seu respeito sejam notavelmente reducionistas. Contudo, é justo dizer que os dois grupos, carismáticos e não carismáticos (continuo usando os termos de forma não bíblica), se alegram em usar ótimos estereótipos a respeito dos que pertencem ao partido oposto. Na opinião dos carismáticos, os não carismáticos tendem a ser teimosamente tradicionalistas 12 A mAnifestAção do espíritoque não creem na Bíblia e que não têm verdadeira fome pelo Senhor. São pessoas que têm medo de experiências espirituais profundas, são muito orgulhosas para se entregarem completamente a Deus, estão mais preocupadas com o ritual do que com a realidade e são mais apaixonadas pela verdade proposicional do que pela verdade encarnada. Eles são melhores na escrita de tratados teológicos do que no evangelismo; são beligerantes na argumentação, defensivos na postura, entediantes na adoração e desprovidos do poder do Espírito em sua experiência pessoal. Os não carismáticos, por sua vez, tendem obviamente a ver as coisas de forma um pouco diferente. Na opinião deles, os carismáticos sucumbiram ao amor atual pela “experiência”, mesmo que às custas da verdade. São vistos como pessoas profundamente não bíblicas, especialmente quando elevam suas experiências com o falar em línguas ao patamar de um xibolete teológico e espiritual pelo qual todo o restante é julgado. Se eles têm crescido, grande parte de sua força se deve ao seu triunfalismo destemido, seu elitismo populista e suas promessas de atalhos para santidade e poder. São melhores em dividir igrejas e roubar ovelhas do que são em evangelismo, mais conquistados pela exaltação espiritual de um único líder diante dos outros crentes do que pelo serviço humilde e fiel. São imperialistas na argumentação (somente eles têm o “evangelho todo”), abrasivos na postura, descontrolados na adoração e destituídos de qualquer entendimento real da Bíblia que vá além da mera citação de versículos.


 


 

Matricule-se Agora!
Selecione os cursos de sua opção:
Ao preencher este formulário declaro que li e concordo com a Política de privacidade e o contrato de prestação de serviço deste Web Site.